A LUZ INTERIOR

Alguns pensadores, mesmo aqueles que nem são necessariamente religiosos, dizem que para chegarmos ao núcleo, ou seja, à essência de nós mesmos, é preciso ir retirando camadas e camadas de tudo que se relaciona ao nosso ego, nossos sofrimentos arraigados, nossas mágoas, ou seja, tudo aquilo com que fomos afetados pelo mundo exterior, pelas pessoas, por todos os acontecimentos dos quais fizemos parte e que nos marcaram criando cascas em torno da nossa essência, encobrindo-a, ocultando sua luz, fazendo com que a nossa parte divina permaneça encoberta lá dentro de nós.

Estamos falando da centelha divina que está em nós, a nossa luz interior! Aquela que nos afirma como Filhos de Deus! Esta luz, que é a nossa essência, é aquilo que nós realmente somos! Porém, apesar de já estarmos em um mundo em transição, ainda estamos em contato com a energia de provas e expiações e, enquanto não manifestarmos a pureza do Amor, nós vamos encobrindo essa luz.

O fato de vivermos em um mundo de dualidade, de bem e mal, de amor e egoísmo, de virtudes e pecados e, portanto, um mundo de livre-arbítrio, no qual podemos escolher, vai nos permitindo deixar que nossa luz interior fique escondida, ela não se apaga, mas vai ficando encoberta com camadas de sujeiras emocionais que vamos colocando ao redor dela, ocultando-a.

Quando Jesus diz, “Que resplandeça a vossa luz diante dos homens” ele também fala disso! Ele diz “Vós sois a luz do mundo. (…) Não se acende uma candeia e se coloca debaixo do alqueire, mas sobre o velador, para dar luz a todos na casa. Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem vosso Pai que está nos céus” (Matheus 5: 14-15).

E que boas obras são essas? Tudo o que se refere ao amor! São nossos sentimentos amorosos, nossos comportamentos, nossas atitudes, são os pequenos gestos fraternos que fazemos todos os dias, nossas escolhas no sentido de sermos melhores, de agirmos sempre em prol do amor incondicional; porque a evolução espiritual passa pelo aprendizado do amor, do perdão e da aceitação de toda a Criação de Deus! Esta expressão de Jesus, na qual ele diz: “Vós sois a luz do mundo”, vem logo após o Sermão da Montanha, no qual ele fala de comportamentos que devemos ter para sermos bem aventurados, para que nossa luz brilhe. Ele diz: – Bem aventurados os pacíficos, os misericordiosos, os brandos, os limpos de coração, etc.

Nossa evolução espiritual está diretamente ligada a isso! É necessário que libertemos nossa luz, para podermos adentrar vibrações superiores, como a energia de regeneração, que será o próximo ciclo do planeta! Precisamos retirar as camadas de impurezas, representadas pelas nossas emoções exacerbadas, nossos desequilíbrios, nossos ódios, mágoas, sentimentos de vingança, rancores, enfim, pelos nossos excessos; tudo que nos tira do equilíbrio e do amor. É preciso libertar a nossa essência divina para que nossa luz brilhe.

Jesus diz: “Bem aventurados aqueles que têm o coração puro, porque eles verão a Deus”.

São claras as palavras de Jesus, quando purificarmos o coração e deixarmos nossa luz brilhar, encontraremos Deus dentro de nós! E se encontramos Deus dentro de nós, nós o encontraremos também fora, nós o encontraremos em toda a Criação, na natureza, nos alimentos, nas pessoas em geral, nossos familiares, amigos e naqueles que se acham nossos inimigos, no trabalho, nas alegrias e nas tristezas, mesmo nos momentos dolorosos, porque sabemos que tudo é necessário para o nosso crescimento, e Deus, que É dentro de nós, está no comando de tudo.

Paz!

ENEIDA NOGUEIRA                                                                       

Facebooktwitterlinkedinmail

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.