PARÁBOLA DO REI E SUAS 4 ESPOSAS

Este não é um texto original, mas é uma dessas historinhas esquecidas que gostaria de compartilhar com os leitores do Semear:

Era uma vez um rei que tinha quatro esposas.

Ele amava a quarta esposa e vivia dando-lhe lindos presentes, joias e roupas caras. Ele lhe dava tudo e sempre do melhor. Devia ser a mais nova.

Ele também amava a sua terceira esposa e gostava de exibi-la aos vizinhos. Contudo tinha medo de que ela o deixasse por outro rei.

Esse rei também amava muito a segunda esposa. Ela era sua confidente e estava sempre pronta para ele, com amabilidade e paciência. Sempre que o rei tinha que enfrentar um problema, confiava nela para atravessar as dificuldades.

A primeira esposa era uma parceira muito leal e fazia tudo o que estava ao seu alcance para manter o rei e o reino rico e poderoso, mas o rei não a amava. Apesar de ela o amar profundamente, ele mal tomava conhecimento dela.

Um dia o rei caiu doente e percebeu que seu fim estava próximo. Ele pensou em toda a luxúria de sua vida e ponderou:

– E agora tenho quatro esposas comigo, mas quando eu morrer, com quantas poderei contar?

Então, ele perguntou à quarta esposa:

– Eu te amei tanto, querida, te cobri das mais finas roupas e joias. Mostrei o quanto te amava cuidando bem de você. Agora que estou morrendo você seria capaz de morrer comigo para não me deixar sozinho?

– De jeito nenhum, respondeu a quarta esposa. E saiu do quarto sem olhar para trás.

A resposta que ela lhe deu cortou o coração do rei como se fosse uma faca afiada.

Tristemente, o rei perguntou para a terceira esposa: – Eu também te amei tanto a vida inteira. Agora que estou morrendo, você é capaz de morrer comigo para não me deixar sozinho?

– Não!, respondeu a terceira esposa. A vida é boa demais. Quando você morrer, me casarei novamente.

O coração do rei sangrou e gelou de tanta dor.

Ele perguntou, então, para a segunda esposa:

– Eu sempre recorri a você quando precisei de ajuda e você sempre esteve ao meu lado. Quando eu morrer, você será capaz de morrer ao meu lado para me fazer companhia?

– Sinto muito, mas desta vez eu não posso fazer o que você está me pedindo, respondeu a segunda esposa. O máximo que eu posso fazer é te enterrar e rezar.

Essa resposta veio como um trovão na cabeça do rei, e mais uma vez, ele ficou arrasado.

Daí, então, uma voz se fez ouvir:

– Eu partirei com você e o seguirei onde você for.

O rei levantou os olhos e lá estava sua primeira esposa, magrinha, tão mal nutrida e tão sofrida.

Com o coração partido, o rei falou:

– Eu deveria ter cuidado melhor de você enquanto eu ainda podia.

Na verdade, todos temos quatro esposas nas nossas vidas: nossa quarta esposa é o nosso corpo. Apesar de todos os esforços para mantê-lo saudável e bonito, ele nos deixará quando morrermos.

Nossa terceira esposa representa as nossas posses, propriedades e riquezas. Quando morrermos, tudo o que pensamos ter, vai para os outros.

Nossa segunda esposa representa os nossos familiares e amigos. Apesar de nos amarem muito e estarem sempre nos apoiando, o máximo que eles podem fazer diante da nossa morte é nos enterrar e rezar por nós.

E nossa primeira esposa é o nosso Espírito, muitas vezes deixado de lado por perseguirmos, durante a vida toda, a riqueza, o poder e os prazeres do nosso ego.

Apesar de tudo, nosso Espírito é a única coisa que sempre irá conosco não importa aonde formos. Então, cultive, fortaleça e enobreça o seu Espírito agora. É o maior presente que você pode dar ao mundo e a si mesmo.

Deixe-o brilhar!

Norminha Cordeiro

Facebooktwitterlinkedinmail

One thought on “PARÁBOLA DO REI E SUAS 4 ESPOSAS

  1. Grande reflexão da nossa inspiradora e eterna educadora Dona Norma , bjs em seu coração ❤️😘🙏🏼💪🏻

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.