PLANEJAMENTO FAMILIAR À LUZ DO ESPIRITISMO

Planejamento Familiar“A maternidade é a plenitude do coração feminino que norteia o progresso. Concepção, gravidez, parto e devoção afetiva representam estações difíceis e belas de um ministério sempre divino.
Láurea celeste na mulher de todas as condições, define o inderrogável recurso à existência humana, reclamando paciência e carinho, renúncia e entendimento.
Maternidade esperada.
Maternidade imprevista.
Maternidade aceita.
Maternidade hostilizada.
Maternidade socorrida.
Maternidade desamparada.
Misto de júbilo e sofrimento, missão e prova, maternidade, em qualquer parte, traduz intercâmbio de amor incomensurável, em que desponta, sublime e sempre novo, o ensejo de burilamento das almas na ascensão dos destinos.
Principais responsáveis por semelhante concessão da Bondade Infinita, as mães guardam a chave de controle do mundo.” (André Luiz “ O Espírito da Verdade” cap. 50)

Os filhos não surgem em nossas vidas por acaso, são geralmente frutos de um programa reencarnatório, para oportunidades de edificação familiar e da necessidade para a própria evolução.

Quase sempre Espíritos vinculados ao casal interessam-se, antes de reencarnar, pela constituição da família, em face das próprias necessidades de aprimoramento e resgate, progresso e autocorrigenda…..

Pois a necessidade da reencarnação é “Expiação, melhoramento progressivo da humanidade. Sem isso, onde estaria a justiça? (L.E., Questão 167)

Não podemos deixar de salientar a gloriosa decisão de receber e dar a oportunidade da reencarnação aos Espíritos que necessitam desta estação, assim como nos foi dada a oportunidade de estarmos aqui, onde podemos aprimorar nossas qualidades, trabalhar nossas dificuldades; oportunidade de exercitar o amor, a paciência e aprimorar nossos sentimentos através da convivência familiar e na sociedade.

 

E para quem a opção é não ter filhos:

Todos nos temos condições de escolhas, e a decisão do planejamento familiar é uma questão de foro intimo do casal, e na atualidade nascem outras prioridades em nossas vidas, como a profissão, as pesquisas  etc, deixando para mais tarde ou até mesmo não planejando o recebimento de filhos. É uma escolha a que o casal tem direito e até mesmo para não caírem na frustação.

Mas, que a opção de não ter filhos não seja acompanhada pelo egoísmo, pois sempre temos oportunidades de trabalhar em prol dos nossos irmãos que estão na caminhada evolutiva conosco,  seja dentro do  grupo familiar, onde sempre temos situações para resolver, amparar e desenvolver o amor com nossos parentes  consanguíneos.

Na sociedade, atendendo e trabalhando pelos necessitados, em orfanatos onde há  tantos  que apenas querem  um olhar, um carinho, uma atenção.

Nos asilos, quando apenas querem uma palavra e um tempo para conversar.

Não precisamos ter somente o compromisso e responsabilidade na legalidade pois nossa família está muito além do papel; está em todas as maneiras de expressarmos nosso amor, a paciência, nosso tempo, assim também nos melhoramos, compartilhamos nossos aprendizados, equilibramos sentimentos, valorizamos a vida e crescemos como seres humanos, contribuindo para uma vida melhor.

Andrea Rejane dos Santos

Facebooktwitterlinkedinmail

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.